OMS estima que doses de reforço não são suficientes para acabar com pandemia